O futuro do trabalho: você será substituído por máquinas? Descubra!

O futuro do trabalho intriga os profissionais que temem perder o emprego para as máquinas, já que a tecnologia está cada vez mais presente na produção e na indústria. No entanto, a visão humana sempre será necessária.

Entender os novos moldes que a automatização desencadeia é fundamental. É preciso saber que o desenvolvimento não rouba os trabalhos humanos, apenas o ressignifica. Pensando nisso, preparamos este texto para você. Ele explica por que a tecnologia não vai substituir as pessoas.


Calma! As máquinas não vão substituir totalmente as pessoas


As máquinas não necessariamente substituem os humanos. Embora elas passem a cumprir algumas funções, novos postos são criados automaticamente, gerando mais demanda de trabalho.


O fato é que a inserção de máquinas automatizadas não é uma batalha por empregos entre homens e robôs, como o assunto foi tratado muitas vezes. As máquinas têm objetivo de suprir as tarefas maçantes e desgastantes aos homens.


Desse modo, as pessoas podem se dedicar a atividades que exigem a criatividade e habilidade social, características que apenas a nossa espécie possui. Por exemplo, em vez de gastar tempo cortando tecidos, cometendo muitos erros e desperdícios de tecido passíveis de acontecer, é possível passar um maior período criando novos desenhos.


O futuro do trabalho vai ressignificar a importância da função humana. Saiba como se preparar!


A partir do que estabelecemos acima, cabe ao profissional se adequar para o novo cenário. Investir em se manter sempre atualizado sobre as necessidades e tendências do mercado e dos consumidores é uma forma de suprir as exigências e carências de seres humanos.


Outra tarefa importante é melhorar as aptidões para o desenvolvimento de novas peças. O potencial para inovar na criação será um diferencial para os profissionais desse ramo no futuro próximo. Com uma atitude assim, os profissionais têxteis poderão andar lado a lado com a tecnologia. As máquinas serão unicamente facilitadoras do processo mecânico, sem substituírem as pessoas.


Então, as máquinas de fato não tomarão o lugar dos seres humanos. O papel delas na indústria é otimizar o tempo gasto em tarefas cansativas e aumentar a produtividade. O que acontecerá, de fato, é uma recolocação das pessoas no mercado no futuro do trabalho. Assim, as pessoas serão cada vez mais responsáveis por tarefas não operacionais, que dependem de sua criatividade e espírito humano.