O empreendedorismo feminino e sua importância!

Empreendedorismo feminino é um assunto que ganha atenção ano após ano. Neste artigo, vamos abordar a importância dele para a sociedade não só em seu contexto social, mas também em seu contexto econômico.



Sobre empreendedorismo feminino: Foi-se o tempo em que “lugar de mulher era em casa”. As últimas décadas foram marcadas pela luta pela igualdade de gênero e as mulheres passaram a ter voz, foram conquistando independência e, ano após ano, conquistam protagonismo e mais espaço em um mercado que antes era exclusivo dos homens. Assim como reconhecimento e satisfação na vida pessoal e profissional.

As reivindicações das mulheres por direitos iguais começaram no século XIX, quando elas lutaram pelo direito ao voto. Com o passar dos anos, as mulheres passaram a lutar pela ampliação dos direitos sociais e legais. Mesmo após todo esse tempo, sabe-se que a equidade ainda não foi alcançada, mas toda essa luta gerou muitos avanços na condição atual das mulheres.

O empreendedorismo feminino pode ser classificado como um movimento que reúne negócios idealizados por uma ou mais mulheres. Ele traz importantes contribuições para a sociedade como um todo, muito embora o mundo dos negócios ainda imponha algumas barreiras para elas.

De acordo com dados do SEBRAE, nos últimos anos, o número de mulheres chefes de família aumentou de 38% para 45%. Os motivos que incentivam o empreendedorismo feminino podem ser apontados como a necessidade de ter uma renda extra ou até mesmo para adquirir independência financeira.

Ainda de acordo com o mesmo levantamento, 48% dos microempreendedores individuais (MEI) são mulheres que atuam em negócios voltados para o público feminino, ou que assim ainda são considerados, como por exemplo o ramo da beleza, moda e alimentação.


O impacto do empreendedorismo feminino na economia


Empreendedorismo feminino é um assunto que ganha atenção ano após ano. Neste artigo, vamos abordar a importância dele para a sociedade não só em seu contexto social, mas também em seu contexto econômico.


Sobre empreendedorismo feminino: Foi-se o tempo em que “lugar de mulher era em casa”. As últimas décadas foram marcadas pela luta pela igualdade de gênero e as mulheres passaram a ter voz, foram conquistando independência e, ano após ano, conquistam protagonismo e mais espaço em um mercado que antes era exclusivo dos homens. Assim como reconhecimento e satisfação na vida pessoal e profissional.

As reivindicações das mulheres por direitos iguais começaram no século XIX, quando elas lutaram pelo direito ao voto. Com o passar dos anos, as mulheres passaram a lutar pela ampliação dos direitos sociais e legais. Mesmo após todo esse tempo, sabe-se que a equidade ainda não foi alcançada, mas toda essa luta gerou muitos avanços na condição atual das mulheres.

O empreendedorismo feminino pode ser classificado como um movimento que reúne negócios idealizados por uma ou mais mulheres. Ele traz importantes contribuições para a sociedade como um todo, muito embora o mundo dos negócios ainda imponha algumas barreiras para elas.

De acordo com dados do SEBRAE, nos últimos anos, o número de mulheres chefes de família aumentou de 38% para 45%. Os motivos que incentivam o empreendedorismo feminino podem ser apontados como a necessidade de ter uma renda extra ou até mesmo para adquirir independência financeira.

Ainda de acordo com o mesmo levantamento, 48% dos microempreendedores individuais (MEI) são mulheres que atuam em negócios voltados para o público feminino, ou que assim ainda são considerados, como por exemplo o ramo da beleza, moda e alimentação.


O impacto do empreendedorismo feminino na economia

O empreendedorismo feminino estimula a reduzir as diferenças de oportunidades de ascensão de carreira entre homens e mulheres, favorecendo a diversidade de negócios no mundo. Além disso, aumenta a renda familiar, gera mais empregos e abre as portas do mercado para cada vez mais mulheres.

Além disso, geram um impacto significativo no PIB mundial, segundo matéria publicada pela Forbes. De acordo com a matéria, “diminuir a diferença de gênero no mundo empresarial pode criar um aumento do PIB global entre US$ 2,5 trilhões e US$ 5 trilhões, segundo um novo estudo do Boston Consulting Group”.

Além da importância para a economia, mulheres com comportamento empreendedor são importantes para estratégias empresariais. Elas têm facilidade para desenvolver competências comportamentais que são valorizadas em um mercado que exige maior flexibilidade. Isso porque, de uma forma geral, seja atuando em uma instituição ou tocando seu próprio negócio, mulheres tendem a mostrar índices mais elevados de resiliência, mantendo a estabilidade e o equilíbrio emocional mesmo diante de dificuldades e pressões.

Dessa forma, apostar na liderança feminina significa aproveitar melhor os talentos de uma organização e estabelecer maior proximidade com a clientela, já que mulheres são maioria no país.

Assim, diminuir a desigualdade de gênero e aumentar a diversidade é importante para uma sociedade moderna, onde homens e mulheres possuem direitos iguais.

Uma pesquisa da Organização Internacional do Trabalho, mostra que empresas preocupadas com a diversidade de gênero na liderança contam com funcionários mais engajados e têm um crescimento de 5% a 20% nos lucros.


Os desafios que mulheres empreendedoras brasileiras ainda enfrentam


Apesar do progresso dos últimos anos, o cenário atual mostra que ainda existem muitos avanços a serem feitos. De acordo com matéria divulgada pelo Estado de Minas, 1,7% das mulheres é considerada mais propensa a não ser uma oportunidade porque é vista como não flexível ou com baixo comprometimento com relação a homens; 1,6% mais propensa a receber remuneração menor do que os homens em posições semelhantes e 1,5% mais propensa a não ser considerada para uma posição/oportunidade por conta de diferenças no estilo de liderança ou de relacionamento interpessoal.

Mulheres empreendedoras recebem menos que os homens empreendedores – segundo dados do Sebrae, empreendedoras registram um rendimento médio mensal 22% menor que o rendimento masculino.

Assédio e preconceito – no mundo corporativo, muitas mulheres ainda enfrentam assédio e preconceito, partindo de uma ideia retrógrada de que são mais emotivas ou de que não poderão se comprometer inteiramente com a empresa se tiverem filhos.

Outro fator que pode ser considerado como um empecilho nesse sentido, está em estabelecer uma rede de apoio dentro das empresas: como o empresariado sempre foi dominado por representantes do gênero masculino, a presença de uma mulher nesse ambiente costuma ser vista com desconfiança. É como se ela fosse incapaz de atuar de igual para igual. Sem credibilidade junto aos pares, as mulheres têm mais dificuldade em formar um networking sólido.

Linhas de crédito menor – uma mulher empreendedora toma empréstimos menores, com linhas de crédito igualmente menores. Além disso, pagam juros mais altos. A taxa anual para empresárias é 3,5 % maior, considerando-se o dinheiro fornecido a proprietários de pequenos empreendimentos.


Dicas para estimular o empreendedorismo feminino

Estude o mercado

Procure estudar sobre o mercado que você pretende atuar. Analise o público-alvo e entenda as necessidades dele, ou seja, quais serviços ou produtos estão faltando em sua região.

Planeje bem o seu negócio

Saiba por que você pretende empreender e então faça um bom planejamento, prevendo custos com contratação de equipe entre outros. Com franquias, normalmente todo esse planejamento é feito pela franqueadora e repassado à franqueada, o que reduz bastante o tempo para a implementação do negócio.

Busque capacitação

Ao investir em franquias, você terá todo suporte e treinamento necessário para começar o seu negócio. Porém, buscar se capacitar ainda mais é sempre uma boa estratégia. Existem algumas organizações que auxiliam mulheres empreendedoras de sucesso com boas dicas sobre finanças e vendas.

Procure uma linha de crédito

Na falta de um capital para investir, se você optar por investir em franquias, diante de todas as vantagens que esse nicho possui, é importante saber que algumas franqueadoras oferecem suporte para a negociação de concessão de crédito com bancos. Além disso, como as franquias são consideradas mais seguras, já que a franqueadora é como um órgão garantidor, pode haver a possibilidade de existir uma linha de crédito diferenciada.

Cuide da sua imagem

Atrelar sua imagem ao produto para se conectar melhor com o seu cliente final é uma estratégia que faz uma enorme diferença para o seu negócio. Invista na sua aparência, postura e na forma de se comunicar.


Fonte: https://blog.yescosmetics.com.br/